Brasileiros reabrem boate que foi templo da ‘Playboy’ em Miami

Por Chris Delboni, com Liliana Pinelli

Todo mundo se lembra ou já ouviu falar das animadas festas promovidas nos Clubes Playboy por Hugh Hefner, lendário e visionário fundador da revista Playboy, lá pelas décadas de 60 e 70. Miami não apenas sediou um destes míticos espaços, como também tinha um algo a mais, um hotel chamado Playboy Plaza.

E, como podemos imaginar, não era um hotel como os outros. No fundo – com entrada separada e uma escada privativa, por onde desembarcava Hefner de seu helicóptero -, ficava a mais badalada casa de shows da região, conhecida como Penthouse, que recebeu grandes nomes como a dupla Steve Lawrence e Eydie Gorme, Ike e Tina Turner e Sammy Davis Jr.

Mas, aos poucos, o charme foi diminuindo, o hotel vendido, a casa de shows mudou de dono e, para coroar o mau momento, no início dos anos 80, a revista Time publicou uma matéria de capa com o título Paraíso Perdido, se referindo a Miami.

Mas isso tudo vem mudando nos últimos anos.

E, agora, a história do “Paraíso Reencontrado” está sendo contada por brasileiros, que estão tomando conta da cidade: comprando imóveis, abrindo comércio e, semana que vem – durante a temporada do Art Basel, o maior festival de arte dos Estados Unidos -, Miami vai testemunhar a reinauguração em grande estilo da ex-“Penthouse” da Playboy com novo nome: Miami Grand Theater.

E, claro, tem toque de brasileiro aí.

O teatro, que fica dentro do hotel que hoje se chama Castle, na Collins Ave, 5.445, em Miami Beach, e é patrimônio tombado pela cidade, foi adquirido por um grupo de investidores franceses e brasileiros, reformado e será inaugurado com a mesma pompa de quando abriu em 1970 nas mãos da Playboy.

“Será a maior reinauguração de um estabelecimento de entretenimento na história da Flórida”, diz o francês Pascal Cohen, que é líder do grupo.

O Miami Grand Theater tem espaço para 700 pessoas, sem contar a sala Vip, o bar e lounge, e, o mais importante, não perdeu o charme original, como um lustre de US$ 250 mil e murais pintados pelo artista Phil Brinkman no fim dos anos 60.

MiamiGrandTheater47(2)

Agora, os novos donos querem resgatar a alma do local. “Vamos retomar sua essência, a bela adormecida que esperava pelo príncipe”, diz Pascal. “Será o templo do entretenimento em Miami.”

Yara Gouveia, empresária e corretora de imóveis, é uma das sócias no empreendimento.

LustrebyCarla_Guarilha(1)

“Miami tem bons restaurantes, discotecas e teatros, mas não tinha ainda um local onde se podia jantar, dançar e assistir a um show ao mesmo tempo”, diz Yara Gouveia. “Fico muito orgulhosa de fazer parte deste momento, principalmente por ser mais uma brasileira participando da retomada desta bela cidade.”

A grande estreia da casa está sendo coordenada com o grupo de Nova York, o 5DXperience, com festas que prometem ser memoráveis e convidados do nível dos que visitavam o estabelecimento na época da Playboy.

Jill Buchanan, presidente do grupo, artista e produtora dos eventos, diz que “Miami viverá noites inesquecíveis no MGT”. Todos os eventos – de 4 a 7 de dezembro, durante a semana de Art Basel – serão fechadíssimos, para manter a privacidade das celebridades convidadas.

A primeira noite será um evento para angariar fundos para a fundação Born This Way, de Lady Gaga. E tem grande chance de a própria aparecer para a inauguração do MGT, quando Jill estará lançando também um novo clube exclusivo e secreto, 5DSocitey, que vai unir pessoas – muitas celebridades – que têm como objetivo comum transformar o mundo em um lugar melhor por meio da arte e da filantropia.

“Amor é nossa mensagem”, diz Jill.

Parece utópico, mas Pascal diz que esta filosofia se encaixa perfeitamente à dele.

“Aprendi cedo que é melhor ser do que ter”, diz, emocionado, ao se lembrar das lições de vida que recebeu do pai, jogador de futebol semiprofissional, apaixonado pelo Brasil de Pelé, e da mãe, uma importante bailarina da Opéra de Paris, nos anos 50.

CorredorMGTby_Carla_Guarilha(2)

“O Miami Grand Theater pertence aos artistas. É mágico”, diz Pascal, que tem uma alma mais brasileira do que muitos de nós. “Somos somente um instrumento da história. O teatro é o grande protagonista, que estava apenas nos esperando.”

E 2014, aguarde! O Miami Grand Theater espera promover eventos no próximo ano que marcarão a historia desta época – e reviver o passado com algumas visitas de grandes nomes, inclusive Hefner. Ele só não vai poder chegar de helicóptero e entrar pela sua escada privativa.

* Texto originalmente publicado pelo portal de notícias Estadão.com.br na coluna Direto de Miami

Advertisements


Categories: Direto de Miami

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: